E porquê à Padeiro?


Prelúdio II.

Posto isto, pensámos numa data, e ocorreu-nos o mês de Junho. Teria de ser uma noite de temperatura amena, e sobretudo sem ameaço de água à vista.

A amizade com o Barradas remonta há uns anos quando nos encontrámos num conhecido fórum dedicado ao proprietários da Suzuki V-Strom. Na altura ambos tínhamos uma... Foi por ali que começou o gosto de organizar e fazer passeios.
Sendo um fórum nacional agregador de todos os utilizadores do modelo, a divulgação de passeios e eventos era feita por regiões báptizadas por "Comandos". Foi no "Comando de Lisboa" que o Barradas (e outros) organizaram vários passeios dos quais se formaram várias amizades.

Mais tarde por desaguizados formou-se outro grupo mais restrito com os amigos mais chegados e ao qual chamámos Comando de Padeiros... Ninguém ali percebia de pão, a origem deriva do horário dos Padeiros. Dado que todos os passeios organizados se realizavam com saída de alvorada, ficou a graça do nome e o slogan "Mototurismo em horário de padeiro".

Divulgou-se a ideia no fórum do Comando no final entre confirmados e indecisos, sobraram três para a partida. Eu, o Barradas claro, e ainda outro maluco, o Paulo...

O Paulo embora não fosse dos mais regulares em passeios já nos tinha feito companhia em muitos quilómetros, nomeadamente na primeira viagem de grande formato até aos Alpes (ver Rota Alpino-mediterrânica). Tipo calmo com o qual já havia um bom entrosamento na estrada, o que é fundamental quando nos propomos a fazer 16h de condução seguidas.

Dois é bom, mas três é ainda melhor. Eu estava convencido que ninguém aceitaria o desafio e não me tinha ocorrido que o Paulo se interessasse por esta cansativa volta (que convenhamos não é para qualquer um). É que andar por andar, sem nada para ver, não será propriamente do agrado da maioria.