Rota da Memória


Um pulinho até Budapeste

Dia 6, Balaton. Uma coisa estava certa, chiça! Comida italiana não seria de certeza! Parámos junto a uma dessas barraquinhas que tinha umas quantas fotografias penduradas dos pratos… Olha, é mesmo aqui, é só apontar com o dedo. Sentámo-nos e pedimos o menu em inglês. Estava uma miudinha a atender,... Continuação


Peste boa

Dia 7, Budapeste. Embora tivéssemos desejado de véspera que se tivessem enganado, as previsões meteorológica estavam a confirmar-se. Acordámos com um céu cinzento e uma bela de uma chuva pegada. E nós que estávamos a planear ir de manga curta, bem nos lixámos e tiv... Continuação


Siga pró Buda

Dia 7, Budapeste. Seguimos então em direcção ao Danúbio e desde logo se começou a avistar a água que por esta altura não tem nada de azul. De facto estava bastante suja e leitosa. De caminho mais uma estátua, esta a homenagear Attila József um dos ma... Continuação


Liberdade, liberdade

Dia 7, Budapeste. Iniciámos a subida em direcção ao castelo, uns quantos lanços de escada até lá acima. Chegados começámos a recear o tempo, estava a formar-se um testo de nuvens escuras que deviam estar bem carregadas de água. instantes antes da carga de água - Budapeste... Continuação


Montes de paprika

Dia 7, Budapeste. Qualquer grande capital tem o seu mercado, e Budapeste não foge à regra. O edifício é charmoso e amplo, parece ter sido renovado. mercado - Budapeste, Hungria O seu interior é constituído por dois andares e mais um piso subterrâneo. No rés-do-chão estão os produtos t... Continuação