Rota da Memória


Rica Liublianica

Dia 5, Liubliana. Manhã seguinte acordámos sem sobressaltos. As máquinas continuavam estacionadas debaixo da nossa janela como as tínhamos deixado. Havia no entanto outro problema para resolver: o de deixar os nossos pertences no quarto todo o dia... Recorde-se que na noite anterior tinha havida uma tentativa desajeitada de n... Continuação


Peste boa

Dia 7, Budapeste. Embora tivéssemos desejado de véspera que se tivessem enganado, as previsões meteorológica estavam a confirmar-se. Acordámos com um céu cinzento e uma bela de uma chuva pegada. E nós que estávamos a planear ir de manga curta, bem nos lixámos e tiv... Continuação


Siga pró Buda

Dia 7, Budapeste. Seguimos então em direcção ao Danúbio e desde logo se começou a avistar a água que por esta altura não tem nada de azul. De facto estava bastante suja e leitosa. De caminho mais uma estátua, esta a homenagear Attila József um dos ma... Continuação


Liberdade, liberdade

Dia 7, Budapeste. Iniciámos a subida em direcção ao castelo, uns quantos lanços de escada até lá acima. Chegados começámos a recear o tempo, estava a formar-se um testo de nuvens escuras que deviam estar bem carregadas de água. instantes antes da carga de água - Budapeste... Continuação


Montes de paprika

Dia 7, Budapeste. Qualquer grande capital tem o seu mercado, e Budapeste não foge à regra. O edifício é charmoso e amplo, parece ter sido renovado. mercado - Budapeste, Hungria O seu interior é constituído por dois andares e mais um piso subterrâneo. No rés-do-chão estão os produtos t... Continuação